sexta-feira, 25 de março de 2016

Cannibal (2005)


Baseado em uma história real, CANNIBAL é um filme alemão inspirado no caso que ficou conhecido como "O Canibal de Rotenburg". 

Entre todos os filmes de canibal que eu já vi até hoje, esse foi de longe o mais repugnante e realista sobre o gênero. Sensação parecida, eu só havia experimentado em ANGST de 1983 (Um thriller arrepiante inspirado também em um psicopata real). Dirigido por Marian Dora, o filme retrata com perfeição, a história real de um alemão que matou e comeu um homem, que se ofereceu como jantar. O filme foi Banido na Alemanha, por ter violado o "personality rights".


Com 89 minutos de duração, o filme começa com uma mãe lendo um livro para o seu filho. O livro em questão, se trata do conto de fadas "João e Maria" (cujo tema original é Hansel and Gretel). Ironicamente falando, o clássico infantil contém canibalismo, embora o plano da bruxa malvada no conto não se realize. A introdução do filme tenta explicar que de alguma forma, o livro sobre a bruxa canibal mexeu com o imaginário da criança. Um corte de cena acontece, mostrando o jovem garoto já em sua fase adulta, com sua pequena coleção de livros sobre canibalismo, autópsia e material sobre matadouros. 

O homem (Carsten Frank) conversa com várias pessoas pela Internet, através de uma "rede social" onde pessoas se oferecem para serem mortas e comidas, tudo em nome do seu fetiche pessoal. Ele se encontra com alguns homens ao longo dos minutos iniciais do filme, mas nenhum deles conseguem levar a ideia até o fim. O canibal e homossexual, insiste em procurar o seu "jantar" na Internet e finalmente, conhece a sua presa ideal.


O canibal alemão conhece o homem, que orgulhosamente se oferece como carne. É difícil dizer qual dos dois é mais o mais doente. Os dois seguem até a casa do canibal, uma espécie de pequeno "matadouro" localizo em uma área isolada. Chegando lá, o homem tem relações sexuais com o canibal. A cena é realista e chocante, com direito a uma trilha sonora "som de cavalo". depois da cena, o homem pede para o canibal morder o seu pênis, porém, ele não consegue arranca-lo com seus dentes e é chamado de fraco por diversas vezes.

Muito decepcionado com o seu mestre canibal, o homem decide ir embora, mas no último momento na estação de trem, ele decide dar mais uma chance ao inexperiente canibal.

O canibal novamente volta para a casa com a sua "carne", com a promessa de não falhar na próxima vez.


O homem toma uma garrafa de bebida para ficar alcoolizado e uma cartela inteira de Stilnox. Na sequência, ele pede para ser castrado com uma faca de cozinha e o canibal realiza o procedimento com sucesso. A cena de castramento é muito realista, tão realista, que vai fazer você pensar por horas como esse efeito especial foi feito. Obviamente, muito sangue é derramando, porém, o mais chocante, é ver o homem urinando sem o seu pênis... !

O canibal frita o pênis do seu amigo virtual, para ambos comerem. Enquanto o homem saboreia seu próprio pênis torrado, o canibal estranhamente, não consegue comer o seu pedaço. Já em outro momento, o homem castrado é colocado em uma banheira com água, onde sangra até morrer. Logo após a morte da "carne", o canibal alemão pega o seu cadáver e leva até o seu matadouro, para corta ele como um porco. A cena de mutilação e desmembramento é explícita e cheia de detalhes. No final, vemos o nosso canibal fritando carne humana, comendo, enterrando os restos mortais de sua "vítima" e até mesmo, se masturbando olhando para a cabeça decepada do homem e um vídeo obsceno de autópsia.

Esse perturbador filme produzido, escrito e dirigido por Marian Dora, foi inspirado no caso Armin Meiwe (a.k.a "Der Metzgermeister").


Em março de 2001, um alemão chamado Armin Meiwe (que na época tinha 40 anos de idade), conheceu um homem na Internet que se ofereceu como alimento. Bernd Jürgen Armando Brandes queria ser assassinado e que sua carne fosse consumida por Armin. Nesse caso, não foi um "assassinato", sendo que a "vítima", fantasiava em ser comida por um canibal. Esse filme dramatiza todos os eventos dessa história real com perfeição, desde a amputação do pênis, até o momento em que Armin Meiwe consome cerca de 20 quilos de carne humana. Armin foi preso após ser denunciado por um internauta, quando procurava uma outra pessoa para "comer" na Internet. O canibal alemão ganhou prisão perpétua e o caso gerou muita polêmica, pois de certa forma, Armin Meiwe é "inocente", já que o homem se ofereceu como carne e tecnicamente, o canibalismo não é crime na Alemanha. Lembrando que, tanto na ficção como no caso real, todo o ato de canibalismo foi gravado em vídeo pelo próprio Armin Meiwe. 4/5

quarta-feira, 23 de março de 2016

Sweet movie (1974)


Contado através de duas histórias não linear, o filme acompanha uma desventurada mulher vencedora do Miss Mundo 1984 e uma capitã revolucionária abordo em seu navio anarquista, com o rosto de Karl Marx na proa. O filme contém uma linguagem cheia de símbolo e referência anarquista, além de cenas de coprofilia, emetofilia e insinuação de pedofilia. É meio difícil de entender esse filme ou pelo menos, falar sobre ele. Para simplificar as coisas, resolvi agrupar todos os acontecimentos deste filme de forma linear. Para quem gosta de chocolate, esse filme perturbador é uma verdadeira delicia !


SWEET MOVIE começa em um programa de TV chamado Crazy Daisy Show, que está transmitindo ao vivo o "Miss Mundo 1984", patrocinado pela presidente da The Chastity Foundation (traduzido para o português "Fundação cinto de castidade"). No total, são 77 modelos semifinalistas dos mais diversos cantos do mundo, todas virgens e cada qual mais bela que a outra. Virgens? isso mesmo. Não se trata de um mero concurso de beleza para eleger a mais bonita, mas sim, a "mais virgem" e cobiçada. O prêmio é 50 milhões de dólares e a oportunidade de se casar com "o homem mais rico do mundo" (segundo o apresentador sensacionalista do programa).

Um médico ginecologista maluco chamado Dr. Middlefinger, entra em cena para explorar a vagina de cada uma das candidatas. Quando é chegado a hora da Miss Canada, o doutor "Dedo médio" fica surpreso com a tamanha beleza do sexo da candidata. O rosto do ginecologista fica iluminado, como quem acaba de encontrar uma mina de ouro e ele comenta : "Em todos meus anos de prática, não vi nada tão encantador".


A Miss Canada é levada até a casa do magnata Aplanalp, para perder a sua pureza. Após um banho rigoroso, ele limpa todo o corpo dela com algodão, molhado com Isopropyl (Álcool). Quando a mulher se encontra completamente limpa e livre de impurezas, ele mija sobre o corpo nu da virgem com o seu pênis de ouro. Já em outro momento, a Miss Canada é humilhada dentro de uma piscina com água (algo que quase a matou) e logo em seguida, é levada para longe por um guarda-costas da família (Roy Callender). Ela é humilhada novamente, agora pelo guarda-costa negro "bem dotado", que coloca ela dentro de uma mala com destino a Paris.


A Miss Canada vai parar em paris próximo a torre Eiffel, onde conhece um cantor Latino (provavelmente mexicano ou espanhol) chamado El Macho e tem relação sexual com ele na rua, mas, são interrompidos durante o ato, por um grupo de freiras que passavam pelo local. O choque é tão grande, que o pênis do cantor acaba ficando preso dentro da vagina dela, devido uma cãibra. Depois desta cena constragedora, a mulher entra em estado de choque e é levada involuntariamente até uma comunidade cheia de pessoas malucas (literalmente).

A cena abre com a Miss Canada ainda desorientada, mamando diretamente do seios de uma mulher. Logo, ela participa de um banquete bastante exótico, onde pessoas vomitam diretamente sobre a mesa e até urinam. Já em outro momento, os membros da comunidade estão mimando um homem que está "renascendo", atuando com um bebê. O homem pelado chorar, urina e até defeca enquanto os outros estão cuidando dele como um garoto recém-nascido. No final, Miss Canada é vista gravando um comercial obsceno, onde ela se banha com chocolate líquido.


A segunda narrativa, envolve uma mulher chamada Anna Planeta. Na verdade, essa segunda narrativa não existia no roteiro original do filme, o diretor Dusan Makavejev teve que reescrever o roteiro devido a saída da atriz Carole Laure, que interpreta a Miss Canada. Carole abandonou as filmagens devido se torna cada vez mais enojado sobre as ações necessárias para seu desempenho em SWEET MOVIE. Ela decidiu larga o filme, após gravar uma cena em que ela acariciava o pênis de um homem e passava ele em seu rosto... !

A segunda história não linear deste filme, é sobre Anna Planeta (Anna Prucnal) e o seu navio anarquista, com o rosto de Karl Marx na proa e cheio de doces no interior. Ela decide dar carona para um insistente marinheiro (Pierre Clémenti), que diz está apaixonado por ela. Mesmo sabendo que o pobre homem é apaixonado por ela, Anna não pensa duas vezes em assassina-lo em um ninho de açúcar. Ela também seduz três crianças em seu mundo de doces e revolução, fazendo uma dança sensual para eles. Ela abre o zíper da calça de uma das crianças e vai para cama com ele, mas o filme não deixa isso explícito e um corte de cena acontece. Mais tarde, as crianças são encontradas todas mortas. O filme termina com Anna Planeta e sua trupe sendo presos pela polícia, que encontraram vários corpos no interior do navio.


O filme foi banido (ou cortado severamente) em diversos países devido as cenas de coprofilia, emetofilia e filmagens dos restos mortais das vítimas polonês Katyn massacre. Sweet movie é proibido em diversas partes do mundo até os dias de hoje. Obter uma cópia do filme, era quase impossível em 1974 devido a ditadura da época. Em 2007, o filme foi finalmente lançado no formato DVD, distribuído pela The Criterion Collection.

Se você está procurando um filme polêmico, cheio de mensagens anarquistas, Sweet movie é um prato cheio para você. Por falar em prato... existe uma cena, que alguns homem estão defecando em um prato, para competir quem é o "melhor". Nesse caso, é preciso ter estômago para assistir determinadas cenas. Eu vi essas cenas de "coprofilia" (fezes) e "emetofilia" (vômitos) e não senti nada, mas esse sou eu... o insensível que assistiu Hungry Bitchies comendo sorvete !


Finalizando, SWEET MOVIE é um filme perturbador, mas ao mesmo tempo, possui uma boa mensagem para os cinéfilos mais exigentes da sétima arte. Tive que ver esse filme duas vezes, para compreender melhor certos acontecimentos. O mais gostoso desse filme (além do chocolate), são as legendas disponíveis para o nosso idioma. 4/5

domingo, 20 de março de 2016

Antropophagus (The Grim Reaper) - 1980


Antropophagus é um Video nasty lançado em 1980 por Joe D'amato. O filme já é muito popular entre os fãs de filmes perturbadores por causa de duas cenas bizarras. Mas afinal, será que ele é mesmo tão perturbador assim?

Para quem não sabe o que são "video nasty", em resumo, são filmes que foram banidos no Reino Unido (UK) ou tiveram que ser censurados pela British Board of Film Classification (BBFC), devido violarem as normas do Obscene Publications Act 1959 na década de 80. No total são 72 filmes na lista, entre os títulos mais populares estão: Cannibal Holocaust, I Spit on Your Grave, Cannibal Ferox e Gestapo's Last Orgy.


Quando uma pessoa decide ver um filme de alguma lista dos "filmes mais perturbadores de todos os tempos", ela espera que realmente, esse filme esteja ali por merecer. Begotten é um bom filme, a sua presença em qualquer lista de filmes bizarros é muito bem-vinda, mas, um filme como Gummo é meio difícil de engolir. O que faz Gummo ser "tão" perturbador assim? Estou tentando entender isso até hoje. 

O filme da vez é Anthropophagu (também conhecido como The Grim Reaper ou The Man Eater), um clássico Splatter/Gore italiano. Eu assim como todo mundo, costumo colocar muita fé em filmes que dizem sem bom ! Na verdade, Antropophagus é um bom filme de terror 80's, mas não passa disso. Existe uma polêmica em torno deste filme, que faz com que muitas pessoas, confundam a palavra "polêmico" com "perturbador".


THE GRIM REAPER é um filme lento do princípio ao filme. Tão devagar, que você jura que não vai acontecer nada. Eu não consigo me imaginar assistindo ele em sua versão com cortes, seria um desperdício de tempo !

O filme abre com um casal de namorados de frente para o mar. Quando a garota decide tomar banho, ele fica deitado sobre uma pedra ouvindo musica com seu fones de ouvidos. Quando ela é atacada e morta pelo canibal dentro da água, o seu namorado distraído que não percebe a cena, morre com uma facada na cabeça. Na sequência, é mostrado um grupo de amigos viajando para uma ilha remota, onde com o passar do tempo, descobrem que não existe quase ninguém em toda ilha. Eles são forçados a passar a noite no lugar e acabam tornando-se vítimas de um terrível morador, um assassino canibal que devorou todos os habitantes locais.


As aparições do canibal "antropófago" são muito poucas, mas, a câmera é muito bem utilizada toda vez que ele aparece em cena, focando quase sempre, o seu olhar medonho. Quando digo medonho, significa que o canibal Klaus Wortmann (George Eastman) realmente é assustador e esse é um dos pontos positivos do filme. O problema do vilão Antropophagus, é a forma não muito original que ele usa para matar. Normalmente, mordendo o pescoço de suas vítimas.

Existe duas cenas memoráveis para os fãs deste filme. A primeira acontece quando o espectador já viu mais de 75 minutos da película, quando o canibal arranca o feto de uma mulher grávida chamada Maggie. A cena não é explícita e o cenário escuro (uma caverna cheia de crânios humano) não ajuda a enxergar quase nada. Klaus devora o feto ainda preso ao cordão umbilical. Por causa desta cena, Joe D'amato foi perseguido e acusado de usar um feto humano real. Mais tarde, Joe revelou que foi usado um coelho sem pele maquiado para fazer tal cena. A segunda melhor acontece no final, quando o canibal come suas próprias tripas segundos antes de morrer.


Voltando para GUMMO (antes que me crucifiquem por falar mau deste filme cult "perturbador"), ele possui uma cena de matança de gatos nada chocante, que só revolta o público mais sensível. Também temos o fato do filme de Harmony Korine mostrar os personagens vivendo em extrema pobreza, mas isso não é perturbador, Pois se esse for o caso, o filme nacional Querô também é extremamente perturbador.


Finalizando a resenha de Antropophagus, o filme é interessante, mas não é tão perturbador como dizem. Para quem curte filmes trash e clássicos do terror, não pode deixar de conferir essa obra de Joe D'amato e os demais filmes que compõem a sua filmografia. Já para aqueles acostumados com filmes perturbadores extremos, vai ter uma opinião parecida com a minha. Um filme como Fome Animal é muito mais perturbador e nojento que Antropophagus, na minha opinião !

sexta-feira, 18 de março de 2016

Rotten Romance (2012)


A busca por filmes Perturbadores continua ! Dessa vez, falaremos do DVD Rotten Romance e seus três curta metragens dirigido pelo pervertido Erik Zijlstra. 

Eu não conhecia esse diretor e a sua Mr Pervert Presents Label, mas graças a contribuição de uma leitora chamada Ana Paula Ulrich Tavares, acabei ficando curioso e decidido a correr atrás de uma cópia deste filme. Erik Zijlstra é um filmmaker responsável por algumas produções de curta metragens pornô e exploitation, feitos baseado em suas ideias bizarras. "Rotten Romance" explora o tema romance de três diferente formas, através de três segmentos, cada qual mais sinistro que o outro. Os curtas duram em média 6 minutos, totalizando 20 minutos de duração contando com a abertura e encerramento.


O filme abre com o seu primeiro capítulo The Blind Date, com cena de canibalismo. Um homem está entrando em uma casa abandonada localizada em meio a uma fazenda, com o objetivo de jantar com a sua admiradora secreta. Ele entra dentro da humilde residência com teias de aranha e parte até uma sala onde irá acontecer um jantar romântico. Quando o homem careca segue rumo até uma sala escura, ele se senta na mesa de jantar e visualizar uma máscara com um bilhete "WEAR ME". Obviamente, ele usa a máscara e a sua anfitriã chega para recebê-lo.

Ambos fazem uma oração, para agradecer a Deus o alimento que vão consumir na sequência. 

A mulher que também está usando uma máscara, coloca algumas colheres de sopa na boca do homem. Ele cai no sono, antes mesmo de seguir para o próximo prato (de aparência "suspeita"), devido ter consumido inocentemente a sopa com sonífero. Quando o homem acorda, ele se encontra amarrado sobre a mesa de jantar, enquanto a mulher cuidadosamente, arranca suas tripas para servir como prato principal.


O segundo capítulo (ou curta metragem) intitulado Daddy's Birthday, possui um valor significativo para os fãs de Nekromantik. Uma mulher (interpretada pela porn star e performance Foxxy Angel), está enfeitando o seu quarto para comemorar o aniversário do seu pai. O problema, é que ele está morto e com o corpo mumificado ! Um cartaz do filme canadense Bone in the Dead ao lado de sua cama, revela um pouco da personalidade Underground da personagem. Eu comparei esse filme com o clássico Nekromantik, porque esse curta é sobre necrofilia, mas, com um incesto entre uma filha e o cadáver de seu pai.


A cena de necrofilia-incesto não é algo que eu poderia chamar de sexo explícito. A mulher fica sobre o cadáver mumificado de seu pai, roçando o seu corpo sobre o dele. Em um certo momento, ela tira toda sua roupa e começa a se masturbar. A câmera faz close no rosto do cadáver, que é banhado com uma "chuva" quando ela chega ao clímax. 

O último segmento, é um curta de humor negro chamado The Funeral of a Penis. Sim, você não leu errado... !

"O Funeral de um Pênis" é protagonizado por um homem vestido como mulher, provavelmente,  homossexual. Ele está cavando uma cova rasa para enterrar uma misteriosa caixa. O curta mostra o que aconteceu anteriormente,  mostrando através de um flashback, o homem contando seu próprio pênis com uma serra. Após o castramento seguido por muito sangue, ele coloca o seu pênis dentro de uma pequena caixa e o enterra para sempre.


Rotten Romance é um filme difícil de avaliar. A ideia de cada curta metragem é boa, porém, mau executada. As atuações em "The Blind Date" são fracas e o roteiro não é dos melhores. Eu gosto quando o filme misturar cores escuras com coloridas de forma surreal como em Divided into Zero, mas a câmera aqui não é usada de forma inteligente. Normalmente, vemos o filme por uma câmera que está fixada em algum lugar e não é possível visualizar muita coisa. "Daddy's Birthday" é o melhor que esse DVD tem para nos oferecer, mas não é grande coisa. O curta NEKRO da In Hell Production é muito melhor, mesmo gravado em VHS. O último e não menos importante é "The Funeral of a Penis", com um nome que faz jus a uma produção independente. Aqui a câmera foi melhor usada do que nos outros dois e o efeito especial é interessante, o problema é que o ator não convence em seu papel. Como se trata de uma produção underground sem nenhum apoio financeiro, Rotten Romance é um bom filme cheio de boas ideias, melhor do que muitos curtas que eu conheço, mas não espere muito dele. 3/5

quarta-feira, 16 de março de 2016

Muzan E (Celluloid Nightmares) - 1999

Muzan-e: AV gyaru satsujin bideo wa sonzai shita! (1999)

Sinopse: Uma repórter está fazendo uma matéria sobre filmes pornô underground. Em meio a sua pesquisa, ela se depara com uma fita VHS onde é mostrado uma mulher sendo brutalmente assassinada por dois homens encapuzados. A repórter decide investigar a origem do Snuff film, mas os produtores responsáveis pelo filme parecem não apreciar muito essa ideia.

Para quem nos acompanha a muito tempo, já deve ter visto algumas resenhas sobre filmes extremos japoneses. Pois bem... o filme da vez se chama Muzan E (a.k.a Celluloid Nightmares) e faz parte desta linhagem absurda de filmes cheio de sadismo e perversão sexual estilo Psycho: The Snuff Reels. A resenha abaixo contém Spoiler significativos sem revelar o desfecho final da trama, é claro.


Muzan E é estrelado por Yûki Emoto, interpretando uma repórter que está fazendo um documentário para TV sobre filmes pornô underground. O seu ponto de partida, é uma loja especializada em filmes sobre fetiche e sexo extremo. ela fala um pouco sobre esse filmes Underground AV (Adult Video), mostrando as VHS para o espectador, mas a câmera faz uma "pixelada" na capa, borrando os rostos das atrizes. 

O filme mostrar a repórter indo para diversos lugares, fazendo entrevistas e coletando informações para enriquecer o seu controverso documentário. Nesse meio tempo, é mostrado uma cena de extreme fetish com menstruação. Você pode até achar isso estranho, pois eu também acho, mas realmente existem homens que sentem muito prazer por mulheres menstruadas. Na cena de "fetiche", um homem e uma mulher estão dentro de uma banheira cheia de água. Ele introduz o dedo dentro da vagina dela, fazendo muito sangue sair e se misturar com a água da banheira. Já em outro momento, o mesmo ator pornô está fazendo sexo oral na atriz, mas na verdade, o homem está absorvendo todo o sangue vaginal dela com a boca. Ele cospe o sangue menstrual da atriz várias vezes. Essa cena é real? Não sei e nem quero saber...


O vídeo "pornô" de extreme fetish com menstruação, é assistido pela repórter. Ela decide investigar como são feitos tais filmes, indo até uma produtora underground que trabalha com esse tipo de material.

Para quem gosta de perversão sexual, esse filme possui boas cenas entre seus 65 minutos de duração. Muzan E é extremo, mas ao mesmo tempo, um pouco tedioso por causa do seu formato de falso-documentário sem legendas. Quando a repórter está nos bastidores para ver como são feitos a maioria dos filmes de sexo extremo, ela fica completamente chocada. Dois atores estão dominado uma mulher sobre a cama, todos o elenco estão apenas com roupas de baixo. Um dos atores agarra a atriz, enquanto o segundo retira a calcinha dela para remover o seu tampão menstrual com os dentes. A "rolha" é colocada dentro da boca da atriz contra a sua própria vontade. Na sequência, ele faz sexo oral nela para absorver o seu sangue menstrual, coloca o dedo dentro dela (gerando mais sangue ainda), lambe o dedo e finalizar a cena fazendo "sexo sangrento". A cena é tão forte de tal forma, que a repórter não consegue mais olhar para eles a partir dai.

Todo o sangue usado em Muzan E, é bem realista. Não só o sangue, mas também todos os atores são bem convincente em seus papéis. Quando a cena termina, a repórter entrevista o diretor e parte do elenco.


O filme vai ficando pior conforme a protagonista vai mergulhando nesse obscuro universo do cinema underground e Snuff Movies. Ela recebe um envelope de um homem misterioso que não quer ser identificado, enquanto que o seu cameraman tenta filmar esse momento discretamente. Dentro do envelope existe algum tipo de carta e uma fita VHS sobre o assassinato de uma mulher, que é mostrado logo na sequência. 

Essa é de longe a mais chocante cena de todo o longa. Uma mulher é orientada a entrar dentro de um carro junto com dois homens. É interessante ver que todos os envolvidos no vídeo, estão com um borrão na cara para não serem identificados (o que aumenta ainda mais o realismo do filme). Ela é abordada e levada à força até uma velha casa perto de lugar nenhum. A vítima sofre violência física e uma série de humilhações nas mãos de seus agressores, até o momento de sua morte visceral que é antecipada com a palavra WARNING em vermelho na tela. Eu prefiro não entrar em muitos detalhes sobre essa cena, caso você queira ver esse filme. A repórter corre para vomitar, após assistir a cena snuff.


O final do filme é carregado de ironia (muito parecido com o do argentino Snuff 102), onde o falso snuff abre espaço para o real snuff, entendeu?

Muzan-E é um filme recomendado para os fãs de Niku Daruma, seguindo a mesma linhagem de dezenas de outros filmes doentes vindo do Japão e Category 3 films.

sábado, 12 de março de 2016

L'Ultima Orgia del III Reich (The Gestapo's Last Orgy) - 1977


Para aqueles que curtem filmes com muita nudez e perversão sexual, este filme é uma boa opção para os fãs de Filmes Perturbadores. Dirigido por Cesare Canevari, The Gestapo's Last Orgy é um Naziploitation cheio de sadismo e perversão sexual, tão cruel que conseguiu ser Banido em todo Reino Unido no final da década de 70.

Este filme carrega um problema bem constante que a maioria dos filmes estrangeiros possuem, que é a falta de legendas para o nosso idioma. Isso realmente é importante para você? A grande maioria dos filmes extremos que podemos encontrar na Internet,  não vem com legendas embutidas, mas, vamos encarar os fatos : Não é impossível entender um filme de horror sem legendas, sendo que esse gênero de filme, costuma trabalhar muito mais com a imagem do que com diálogos. Pegue um filme como August Underground, The Green Elephant e Guinea Pig série que você vai entender do que estou falando. Claro que existem casos que as legendas fazem uma falta e tanto, quando o filme é carregado de diálogos, personagens complexos e inúmeras reviravoltas. The Gestapo's Last Orgy é um desse títulos que podemos consumir sem medo, mesmo não entendendo nada de italiano. Quer ver?


O filme é ambientado na segunda guerra mundial, narrando a estranha relação amorosa entre o comandante Conrad von Starke (Adriano Micantoni) e uma bela prisioneira chamada Lise (Daniela Poggi).

Anos após a Segunda Guerra mundial, um comandante está dirigindo o seu carro, seguindo rumo até um antigo lugar que funcionava como campo de extermínio Nazista, enquanto está ouvindo um julgamento por crimes de guerra em seu rádio. Ele parar o carro em um certo ponto nas ruínas do campo de extermínio, para se encontrar com Lise. O filme revela que Lise na verdade, foi uma ex-prisioneira do próprio comandante.  Na sequência, Lisa recorda todos os tempo que passou no acampamento durante a guerra. Tais recordações, são mostradas por meio de um longo Flashback que se estende por todo filme. 


Um carregamento de prisioneiras é mostrado em cena. O destino dessas mulheres é lamentável. Para quem já conhece o polêmico filme Saló lançado pouco antes deste, já deve saber como os italianos são ousados em filmes com tortura sexual. Entre as mulheres capturas, as mais belas e jovem são rigorosamente selecionadas para passar por uma inspeção médica, enquanto que as demais que não atendem aos requisitos, são assassinadas na câmara de gás e algumas queimadas vivas.

Um médico ginecologista, observa a vagina de cada uma delas com um instrumento específico, provavelmente, para saber quais delas são virgem. Já em uma outra sala, alguns membros da SS-Totenkopfverbände, estão assistindo a um Slide com fotos de sexo extremo. No telão, o filme mostra uma mulher faminta se alimentando com fezes humana, fotos dela em orgia com fezes, incesto entre mãe-filho e sadomasoquismo (Bondage). Tudo isso para alimentar a mente fértil dos homens, que assistem a tudo com muita emoção nos olhos e com a mão no pênis. Quando a "vídeo aula" de sexo termina, o comandante faz sinal para eles transarem com as belas mulheres, que até aquele momento, estavam ali paradas sem suas roupas.


Os selvagens e pervertidos jovens da SS-Totenkopfverbände, estupram as mulheres com violência. Elas sofrem diversas formas de agressão sexual, com direito a sexo anal, sadomasoquismo, socos, penetração com objetos longos e todas as formas de perversão, enquanto que o comandante Starke assistir a tudo emocionado. Algumas delas sangram durante o sexo. talvez, por perderam a virgindade ou devido a intensidade dos abusos. A grande maioria saem de cena com o corpo marcado pelos maus-tratos, já outras desmaiam (ou possivelmente, morrem).

O filme continua relatando todas as crueldades que Lise e outras mulheres sofreram nas mãos do sádico Starke. Uma amante do comandante chamada Alma (Maristella Greco), vai até o dormitório das mulheres cativas. Ela acaricia a vagina de cada uma das cativas. Quando Alma descobre que uma delas está menstruada, a pobre mulher é levada aos cães para ser devorada viva. 


Já em outro momento, o comandante e os membros da SS discutem teorias nazista na mesa de jantar. Um dos homens da mesa, fala sobre suas esperanças de que algum dia, os judeus possam ser consumido como fonte de alimentação. Todos da mesa comemoram, rindo como quem acabou de ouvir uma bela piada. Na sequência, eles comem um ensopado feito com crianças judias, praticando canibalismo pela primeira vez. Starke e sua equipe apreciam o sabor da carne humana, enquanto algumas mulheres em volta da mesa ficam desesperadas. Quando uma das mulheres desmaia e cai desacordada no chão, os sádicos homens tiram a roupa dela e espalham o ensopado sobre seu corpo nu. Como se não bastasse toda essa loucura, eles decidem colocar a mulher sobre a mesa, derramam conhaque sobre ela e atiram fogo sobre a vítima, para logo depois, comer a sua carne assada.


Um lote de coisas bizarras vão acontecendo durante todo o filme, incluindo também, várias cenas de sexo. Starke fica interessado por Lise, devido o seu espírito inquebrável. Por mais que o comandante tente fazer ela chorar ou aterroriza-la, ela não demostra nenhuma reação. Mais tarde, ele mergulha várias mulheres em um poço de cal e faz o mesmo com Lise, que esta sem roupas com suas mãos acorrentadas. Nesse meio tempo, diversas cenas de tortura acontecem. Mesmo que Elisa seja uma escrava sexual (literalmente) do perverso Conrad von Starke, estranhamente, ela sente "amor" por ele. Porém, esse amor se converte em ódio no final do filme. Quer saber como? O parágrafo abaixo contém Spoiler !

Lise revela para o seu amado Starke, que ela está esperando um filho dele. Quando finalmente o tão esperado momento chega, Lise dá à luz uma criança, mas, o comandante pega o bebê e entrega para seus soldados matarem. Isso porque a criança é meio judeu, e um "mestiço" não teria nenhum lugar no mundo. O filme retorna para o presente, onde Lise estar aos beijos com o seu "amado". Ela pega o seu revólver discretamente de dentro de sua bolsa, encerrando assim, o filme com um disparo.*


L'Ultima Orgia del III Reich é um bom filme Naziploitation para os interessados em cinema extremo. Revoltante, doentio e intenso ! O filme explora muito bem várias formas de humilhação e perversão sexual que uma escrava de guerra sofre nas mãos de homens sádicos. História nunca foi a minha matéria favorita, mas eu acredito que provavelmente, coisas desse tipo devem ter acontecido durante a Segunda Guerra mundial (talvez, não da mesma maneira como é retratado no filme). Os efeitos especiais são bons, mas não se empolgue muito, pois o interessante aqui é a criatividade e a forma como tudo acontece. Eu vi esse filme dublado em inglês, mas se você tiver muita sorte, pode encontra-lo em espanhol, ou quem sabe, a versão dublada em português chamada As Condenadas (1977). Nunca se sabe, né? Que venha o próximo filme !

quinta-feira, 10 de março de 2016

Kill That Bitch (2014)


Kill That Bitch ("Mate aquela vadia", em tradução livre) é um filme independente de terror dirigido e escrito por Dustin Mills.

Eu estava pensando em não falar sobre este filme aqui no Filmes Perturbadores, pois de perturbador ele não tem nada. Talvez, a única razão por essa resenha esta sendo postado aqui, seja devido o seu final surpreendente.


O filme começa em preto e branco, mostrando um flashback. Uma mulher com cortes profundos em seu rosto, está se arrastando até o seu bebê que está no chão chorando sem parar. Quando um estranho abre a porta armado com uma faca de combate, a mulher fica aterrorizada com a sua presença, mas, antes que possamos ver o que acontece na sequência, o flashback termina e corta para a cena seguinte.

Tudo o que eu posso falar sobre esse filme, é que todas as atrizes estão peladas na maioria do tempo, mexendo no celular, desenhando ou lendo algum livro. Perai... eu vou tentar explicar da melhor forma possível. Após o término da cena inicial, o filme mostra Jane (Bloodcountess Bathory) sem roupa deitada sobre sua cama, até que a sua atenção é voltada para o celular que esta tocando. quem estar do outro lado da linha é Lolla (Jessica Cook), uma de suas melhores amigas. As duas conversam por um curto período de tempo, até que a chamada termina. Quando Jane vai até a geladeira comer alguma coisa, o seu telefone celular novamente tocar, desta vez com um SMS de um número desconhecido com o texto I FOUND YOU ("Eu peguei você"). Ela troca algumas mensagens de texto com o desconhecido, até pergunta se a pessoa seria a sua amiga Ellie com um número novo, mas, tudo o que recebe é a frequente mensagem CALL ME ("Me liga"). Quando Jane finalmente decide telefonar para aquele número estranho, para a surpresa dela, Jane ouvi o som de um celular tocando no interior de sua própria casa ! Yeah, isso é um filme Slash como aqueles dos anos 90, existe um serial killer dentro da casa dessa vadia ! (Opa, me empolguei...)


O visual do assassino do filme é deprimente e patético. Ele possui uma máscara branca, totalmente inspirada na máscara do médico da praga, com algum tipo de óculos de mergulho colado nela. A sua principal arma é uma faca de combate (igual aquela "faquinha" visceral do Rambo), que por sinal é muito bem usada nas melhores cena deste filme. Quando Jane percebe que não está sozinha, ela é atacada por um suposto serial killer que adormece ela com clorofórmio. Jane desperta em uma cadeira e o assassino tortura ela até a morte. Ele abre um corte enorme em sua cocha direita, corta cada um dos dedos dela, o nariz e finalizar com uma facada profunda atrás da cabeça da vítima. Depois de cometer o assassinato, ele envia a foto de Jane para todas as suas principais amigas da vítima, o que leva cada uma delas a ficarem em estado de alerta.


Porque a jovem vadia Jane foi assassinada? Porque o serial killer quer pegar as outras? Acontece que esse grupo de amigas, escondem um segredo mais obscuro que qualquer coisa existente neste filme...

Aos pouco, todas as personagens são apresentadas, assim como seus corpos despidos também. Muita gente gosta deste filme por causa deste detalhe. Então, de alguma forma, você também pode gostar deste filme caso a nudez feminina seja mais importante que todo o resto. Não que esse filme só tenha nudez, mas é que qualquer coisa nele vira uma desculpa para as atrizes tirarem a roupa em cena. Por exemplo, uma das personagem apesar de linda, tem um estilo de vida bem selvagem. Ela dorme completamente nua  no meio da floresta. isso não é um pouco estranho? Pode ser, mas essa pergunta é facilmente respondida no final do filme.

Toda a sequência do filme pode ser resumida facilmente em poucas palavras : As garotas ficam sem roupas, conversam por celular sobre a morte de uma delas, uma nova garota morre, mais uma cena de nudez, outra garota morre e assim vai...


A única coisa boa que Kill That Bitch tem para nos oferecer, são as atuações muito bem feitas nas cenas de lutas. Você vai ver uma gostosa brigando com um homem armado com uma faca e vai pensar "Que coisa mentirosa é essa?", mas só depois vai entender de onde vem toda essa força descomunal que elas possuem, no final do filme. As cenas de tortura,apesar de poucas, são bem interessantes. 

Finalizando, Kill That Bitch é um indie horror bem razoável, com uma história um pouco sem graça e recheado de cenas de garotas sem roupa (pelo menos elas são bonitas e atraentes). Creio se não fosse pelo final, este filme teria recebido avaliações negativas em todos os sites que passou... Aliás, que final misterioso é esse que eu tanto falo? Bom, essa resenha termina aqui, mas caso você queira saber o grande mistério guardado a sete chaves por essas garotas, então... leia o SPOILER abaixo, embora eu prefira que você não o faça caso não tenha visto o filme.


Todas as amigas de Lolla estão mortas (viu como o SPOILER é foda? aconselho parar a leitura aqui) e ela entra em luta corporal com o assassino responsável pela morte de todas elas. Ela consegue domina-lo, levando ele até a mesma cadeira que foi usada para exterminar suas amigas. Ela agride ele, mas não o mata, somente deixa ele algemado na cadeira e vai atender a um amigo na cozinha. O assassino tem uma lembrança que é revelada por meio de um flashback, onde uma mulher com o rosto cheio de cortes fala para ele KILL THAT BITCH ("Mate aquela Vadia") e o filme termina sem pé e sem cabeça... Sério isso? Claro que não, Dustin Mills nos engana direitinho com esse falso final !

Os créditos do filme surgem, mas rapidamente, é cortado e o serial killer consegue escapar do seu cativeiro. Ele vai até a cozinha causando espanto tanto em Lolla como no seu amigo. O homem entra em luta corporal com o assassino, enquanto que a garota vai até o corredor e fica pelada? isso mesmo !


O amigo de Lolla derruba o vilão, vai até o encontro dela e fica sem saber o que dizer. Quando o rapaz se aproxima dela (provavelmente com a intenção de beija-la), ela coloca suas duas mãos no rosto dele e facilmente, quebrar o seu pescoço. Se você achou isso estranho, espere só o que vem depois, quando você conseguir uma cópia de Kill That Bitch é claro... pois eu sou incapaz de estragar a única coisa boa que esse filme possui, desculpa. Mas, eu já posso ir antecipando que o serial killer na verdade, é o "herói" da história responsável pela cura de uma praga. engraçado, né? Nota dez para o final inesperável, MATE AQUELA PUTA !

terça-feira, 8 de março de 2016

Home (Short Film) - 1998


Sinopse: Seguindo o mesmo rastro de sangue deixado pelo visceral "Cutting Moments", Douglas Buck retorna um ano depois com o seu mais novo curta HOME, que narra a triste história de um homem (Gary Betsworth) com sérios problemas emocionais e sua família. Produzido pela A Voice in the Head Production.

A trilogia de Douglas Buck, mesmo não sendo baseada em fatos reais, retrata muito bem a triste realidade de muitas famílias desestruturadas. Você já parou para imaginar quantas tragédias familiares acontecem todos os dias ao redor do mundo? Esse tipo de coisa vemos todos os dias em programas polícias, onde por alguma razão, toda uma família é brutalmente assassinada por alguém de dentro da própria casa. Geralmente, o pai é o principal suspeito do crime, crime que por muitas vezes, parece não ter nenhuma explicação lógica. Por que esse tipo de coisa acontece? O que leva uma família inteira ser massacrada por alguém, cujo papel é estabelecer paz e felicidade para o lar? Por que algumas família felizes são protagonista de crimes tão terríveis e históricos? Essa trilogia de curta metragens trata exatamente deste assunto, através de três histórias envolvendo tragédias familiares.



Cutting Moments é de longe o mais aclamado e visceral curta metragem da trilogia, seguido pelo angustiante HOME e o terceiro não menos importante  "Prologue" (O único dos três que eu não assisti até agora). Vale ressaltar que A Trilogy of America já recebeu inúmeros elogios de diretores famosos, tais como Davis Mitch de Subconscious Cruelty e Gaspar Noé de irréversible (2002).

Pouco sei sobre HOME, pois o meu inglês não é muito influente e a cópia que adquiri não possui legendas. Mas basicamente, o filme conta a história de Gary (Gary Betsworth), um homem perturbado com traumas de infância que marcaram toda a sua vida miserável. O curta trabalha contando a história de duas formas, tanto no presente como no passado por meio de flashback, mostrando fragmentos da infância perturbada do protagonista da história.


Gary não lembra da sua infância com muito amor. amor? que amor? Seu pai era um homem perverso e dominador, um homem com sérios problemas mentais que não média esforços para atormentar a vida de seu filho e de sua esposa, esposa que morre de medo até mesmo da respiração do seu "marido". Alguns fragmentos de lembranças do pobre Gary são mostrado em cena. Certa vez, ele estava ensaiando com sua flauta junto com a sua turma na escola. Mas, ao tentar ensaiar no meio da noite em sua casa, o seu pai silenciosamente entra em seu quarto, tomar o seu instrumento musical de suas mãos e o quebra ao meio sem dizer uma só palavra. O filme também contém uma narração do protagonista principal, mas como o meu inglês é pobre, eu não consigo entender tudo perfeitamente... 


Uma das cenas mais angustiante do curta, é mostrada por meio de um flashback. Gary inocentemente acorda no meio da noite, vai até o quarto de seus pais e olha através da porta semi-aberta. O menino se depara com a sua mãe de joelhos no chão sem roupa, enquanto que o seu pai agride ela com palavras em um jogo de tortura psicológica. Seria algum tipo de humilhação, punição ou algum tipo de sadismo sexual? Não sabemos ao certo, pois a cena corta e mostra o garoto já em sua fase adulta. 

Já na fase adulta, Gary conhece Helena, com quem se casar e tem uma filha. Ele mantém a sua família,  onde todos são religiosos devido a forte influência de Gary. As marcas deixadas no psicológico do protagonista são bem visíveis, toda vez que ele fica nervoso ou se sente culpado por alguma coisa, Gary punir o seu antebraço chicoteando a si mesmo, algo que ele vem fazendo desde sua infância. O final deste curta não podia ser outro, o espectador é testemunha da destruição de uma família por causa do círculo vicioso, já que desde pequeno, Gary se espelhava em seu pai, mesmo não entendendo ao certo o quão terrível era a sua influência paterna. 


Finalizando, HOME é um angustiante drama familiar de 28 minutos de duração, seguindo o mesmo rastro de destruição deixado por Cutting Moments em 1997. Como eu disse antes, eu não assisti "ainda" o curta PROLOGUE, mas, ele possui o seu potencial, apesar de ficar em terceiro lugar entre os três. O diretor Douglas Buck sabe exatamente como chocar o seu público com um enredo tão simples. mesmo que HOME não seja pior que August Underground, A Serbian Film, Niku Daruma ou The Butcher, ele é um curta poderoso, seguindo um drama familiar que também vemos em The Woman ou até mesmo em Happiness.

Eu Recomendo Family Portraits: A Trilogy of America, principalmente para quem é expert no inglês, que não é o meu caso...

domingo, 6 de março de 2016

Gusomilk (ぐそみるく) - Vol.1


Acho que você já percebeu que esse filme não é para todos os gostos. GUSOMILK é considerado por muitos fetichistas, como um dos mais extremos filmes Scat já produzido. Será? Eu não sou um verdadeiro expert no assunto, mas a experiência que tive com a MFX Média mudou a minha vida pra valer. Eu assisti esse filme em meados de 2014, mas não sei exatamente quando ele foi lançado, nem mesmo sei quem são os produtores do mesmo. O filme é estrelado por Asakura Miruku (segundo fontes confiáveis), que participa de todas as quatro cenas.

A introdução

Sem dúvidas, essa foi a parte mais difícil de assistir. Sabe aquele filme pornô que mostra um ligeiro Trailer com as melhores cenas em ordem cronológica? Pois é... aqui é igual. A abertura do filme mostra tudo aquilo de "bom" que você verá na sequência da forma mais extrema possível. Imagine uma abertura com os cast em japonês, com um background vermelho sangue como em um filme Gore da pior qualidade. A música é terrível, parece que estamos diante de um documentário sobre a morte (é possível ver uma boca desfigurada de um homem gritando em agonia no sangrento Background, desnecessário). Todos os melhores momentos do filme aparecem em forma de teaser, com efeitos sonoros engraçados... eu poderia rir, mas estou chocado e ofendido.

Cena 1

Um homem e três garotas, decidem invadir um quarto para acordar uma garota que está dormindo profundamente em sua cama. Eles entram no quarto dela com o seu cameraman invisível, para desperta-lá da forma mais nojento e criativa possível. O homem tira a roupa da vítima que está sem nenhuma roupa de baixo, acaricia o seu corpo nu e fala para as três garotas tirarem suas roupas. Se você tem alguma experiência com filmes de extreme fetiche ou possui uma noção básica sobre o que é scat, naturalmente, já deve saber o que vem em seguida...

Uma das garotas, é orientada pelo homem a subir sobre a cama e defecar no corpo da mulher que está adormecida, enquanto a câmera captura tudo com riqueza de detalhes. As garotas ficam se revezando, cada uma cagando no pescoço da mulher de sono profundo. Na sequência, elas espalham as fezes pelo corpo da mulher que está dormindo... mas, isso ainda não é tudo. O homem pega uma seringa de tamanho gigante com leite enema dentro, mostra para a câmera e ejeta todo o líquido para dentro do orifício anal de cada uma delas. O resultado final da façanha é "incrível", as três atrizes juntas disparam leite pelo ânus para banhar a mulher que até o presente momento, ainda se encontra adormecida. Elas repetem isso por pelo menos três vezes, até que a vítima finalmente acorda.


Cena 2

A cena começa com duas lésbicas se despindo sobre uma cama. Quando as duas garotas ficam sem suas roupas, uma das atrizes se deita sobre a cama, enquanto que a outra lambe o traseiro dela. Após um tempo, a garota que antes estava se deliciando com o sabor íntimo de sua amiga, pega uma seringa de tamanho grande com algum tipo de queijo triturado dentro e ejeta tudo dentro do ânus de sua parceira. Ela toma o máximo de cuidado para colocar tudo ali dentro, empurrando tudo com a mão. Na sequência, a mulher faz força para jorrar todo o conteúdo para fora de seu corpo... alguma vez na vida você já imaginou um cu vomitando? pois é, aqui explicitamente igual com riqueza de detalhes e zoom.

A atriz pega tudo com a mão, para logo em seguida, banhar o corpo de sua parceira com aquela "gororoba". Achou que já viu o suficiente? Que nada, daqui pra frente o filme só piora !

A mulher continua praticando a sua perversão sexual com sua companheira, dessa vez, colocando ovos cozidos dentro do "mesmo buraco". Quando a garota termina de colocar todos os ovos ali dentro, a outra atriz dispara todos eles para fora um de cada vez. A maioria deles saem inteiro, enquanto outros saem quebrados. Ela mastiga um dos ovos que acabou de sair do ânus da garota que está deitada sobre a cama, para depois, cuspir o alimento diretamente para a boca da outra. O que poderia ser pior que isso?

A seringa entra novamente em cena. desta vez, com algum tipo de líquido amarelado (possivelmente gemas de ovos cru), que é ejetada para dentro do ânus da mulher para fazer exatamente a mesma coisa de antes. Novamente eu pergunto: O que poderia ser pior que isso?

A Câmera mostra na sequência, uma tigela cheia de enguias pequenas vivas... Okay, comer enguias vivas não é algo que eu possa considerar perturbador, mas, esse não é o caso de GUSOMILK... pois neste filme pornô bizarro, elas são introduzidos dentro da bunda de uma mulher, através de um grande funil. Parece mentira, mas toda esta cena é real e explícita.

Quando todas as enguias passam pelo funil e penetram o ânus da mulher, ela por sua vez, contrai o músculo de seu ânus para expulsar todos eles um de cada vez. A cena é tão cômica que provoca riso na atriz, pois as enguias praticamente são disparadas para fora daquela "bazuca anal". As enguias são colocadas sobre o corpo da mulher que está deitada, enquanto que uma delas é comida viva.

A segunda cena finalmente chega em seu clímax, quando a mulher com o seu guloso traseiro fica de quatro na cama e defeca nas mãos da outra atriz. As fezes são usada para lambuzar o corpo da garota suja. No final, uma cena de sexo com Strap-on Dildo acontece.


Cena 3

A terceira cena, trata-se de um BDSM entre uma dominatrix e seus dois escravos sexuais. Ela está sentada sobre um homem com uma máscara Bondage, enquanto decide punir um outro homem gordo que esta só de cueca. Ela pega o seu chicote e acerta ele varias vezes com violência, deixando seu corpo todo marcado. O homem tira a sua cueca e continua de quatro para ela... o que vem em seguida, é algo surpreendente !

A dominatrix começa enfiando o seu dedo no meio da bunda do seu escravo, vai empurrando um pouco mais até a sua mão desaparecer por inteira. Eu sei que existem muitos shock vídeos na Internet assim... mas a partir do momento que ela colocar metade de seu antebraço dentro dele, isso ganha grande proporção. Não demora muito para o orifício anal do homem sangrar, fazendo o sangue escorrer pelo braço da atriz... PORRA, quando esse maldito filme vai acabar?

Depois de ter arrombado (literalmente) o rabo de seu escravo sexual, ele deita no chão e ela defeca em seu rosto. O homem espalha tudo em seu próprio rosto, como estivesse passando protetor solar ou um creme fácil. Na sequência, ele espalha toda a merda de sua mestre pelo seu corpo, enquanto ela tenta defeca  algumas "gotas" de merda. Por incrível que pareça, ele se masturba mesmo com o corpo banhado em fezes. No final, a mulher obriga o homem a se masturbar até atingir o clímax. Quando o sêmen do homem é jorrado ao chão sujo com fezes, ele se agacha e lambe o solo para engolir seu próprio esperma.


Cena 4

Um casal de namorados, estão aos beijos e amassado sobre uma cama. Quando ambos decidem tirar a roupa, uma cena de sexo oral acontece. O homem deita a garota novamente e faz sexo vaginal com ela. Durante o sexo, algumas garotas surgem em cena para defecar na atriz (Asakura Miruku). Elas ficam se revezando, "cagando" enguias, fezes, algumas coisas nojentas que foram colocada em seus ânus, fezes, gemas de ovos, fezes.... e leite, muito leite mesmo. Eu já falei que elas cagam sobre o corpo da mulher?


O legado Gusomilk na Internet

A pornografia japonesa é extremamente rica em filmes sobre "fetiche", dizer que Gusomilk é o pior filme Scat do mundo é tão desafiador quanto a escolha do melhor filme pornô do mundo, pois em ambos os casos, eles fazem parte de uma linhagem de filmes cada qual melhor que o outro. Podemos dizer de passagem, que o clássico Gusomilk é um forte exemplo de filmes extreme fetiche japonês. Nesse caso, ele pode não ser o pior filme Scat japonês já produzido, mas ele representa muito bem a sua "família" sendo então, um dos piores filme do gênero.


A série Gusomilk é famosa entre seus fã (tarados) japoneses, mas, o seu sucesso tornou-se maior quando a distribuidora TWISTEDANGER resolveu pegar toda a coleção para vender em seu site. Os quatro primeiro capítulos, são vendidos a  £ 19,99 no formato Premium DVD-R. Para quem nunca ouviu falar da Twistedanger, a distribuidora possui um grande catálogo de filmes de horror, exploitation e Cult, tais como : Squimfest 1 & 2, Absurd,  O beijo da Mulher piranha (Paródia de "O beijo da mulher Aranha"), Bad Taste, "Meninas Virgem e P..." e Etc. Vários vídeos Reactions podem ser visto no YouTube, como prova do "sucesso" da Coleção GUSOMILK. Filme recomendável?  Talvez, desde que você saiba exatamente aonde está se metendo. Considere-se avisado !